Conecte-se Conosco
 

Mundo

Biden diz a Netanyahu que explosão em hospital em Gaza ‘parece ter sido causada pelo outro lado’

Publicado

em

Países árabes atribuem o bombardeio de terça-feira à noite a Israel; segundo o ministério da Saúde do Hamas, pelo menos 471 pessoas morreram
  • Por Jovem Pan
  O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, apoiou nesta quarta-feira, 18, durante uma visita a Israel, a versão do país que as milícias são responsáveis pelo bombardeio de um hospital de Gaza que deixou centenas de mortos, uma tragédia que aumentou ainda mais a tensão no conflito entre o Estado hebreu e o movimento islâmico Hamas. Os países árabes atribuem o bombardeio de terça-feira à noite a Israel, que ataca sem trégua a Faixa de Gaza desde o início da guerra, desencadeada em 7 de outubro por uma ofensiva do Hamas em seu território que deixou mais de 1.400 mortos e quase 200 reféns sequestrados. Biden, no entanto, apoiou a versão das autoridades israelenses, que acusam a Jihad Islâmica, outro grupo armado palestino, pelo bombardeio. “Com base no que eu vi, parece que [a explosão] foi causada pelo outro lado, não por vocês”, disse Biden ao primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu. “Mas há muitas pessoas por aí que não têm certeza [sobre a autoria do disparo]. Israel tem um conjunto de valores semelhantes aos dos EUA e de outras democracias, e eles estão olhando para o que vamos fazer.” Analistas acreditam que, durante a visita a Israel, o presidente dos Estados Unidos tentará negociar a entrada de ajuda humanitária de emergência em Gaza, onde, segundo o Hamas, pelo menos 3.478 pessoas morreram nos bombardeios israelenses. Os ataques também deixaram 12.065 feridos, segundo a mesma fonte. Não está claro se o número inclui as centenas de vítimas causadas pelo bombardeio de um hospital em Gaza. O Departamento do Tesouro dos Estados Unidos anunciou nesta quarta-feira sanções contra uma dezena de “membros-chave do Hamas”, agentes ou pessoas envolvidas no financiamento do grupo islamita palestino. “Os Estados Unidos estão tomando medidas rápidas e decisivas para atingir os financiadores e facilitadores do Hamas, após o massacre brutal e injusto de civis israelenses, incluindo crianças”, disse a secretária do Tesouro, Janet Yellen. A passagem de Rafah, na fronteira com o Egito, permanece fechada, e centenas de caminhões com ajuda humanitária aguardam a autorização para entrar no território palestino, onde os 2,4 milhões de habitantes estão ficando sem água e alimentos. A Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou que a situação na Faixa de Gaza, sem energia elétrica e cercada por Israel desde 9 de outubro, “está ficando incontrolável”. *Com informações da AFP


Descubra mais sobre TV Criar Entretenimento

Assine para receber os posts mais recentes por e-mail.

Continue Lendo

Descubra mais sobre TV Criar Entretenimento

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading

Iniciar Conversa
Oi, Sejam bem vindo(a) a nossa TV!
Olááá! Obrigado por assistir a TV CRIAR !!!