Conecte-se Conosco
 

Mundo Católico

Acolhimento aos LGBTs e maior papel às mulheres: documento do Vaticano propõe discussão sobre igrejas serem mais inclusivas

Publicado

em

Por Reuters

Os bispos católicos-romanos deverão discutir como a Igreja pode ser mais inclusivas com às pessoas LGBTQIAP+, os divorciados, e como dar às mulheres mais poder de decisão, apontou um documento do Vaticano – conhecido pelo título Instrumentum Laboris – divulgado nesta terça-feira (20).

O documento de 50 páginas também propõe a discussão sobre permitir que homens casados ​​se tornem padres em áreas remotas – uma possibilidade que o Papa Francisco suspendeu após conversas em uma reunião semelhante em 2019.

As sugestões são usadas para orientar os trabalhos da assembleia de eclesiásticos, mais conhecida como Synod. O evento está em preparação há dois anos, durante os quais os católicos de todo o mundo foram questionados sobre sua visão para a Igreja.

Após o Synod, o papa escreve o que é conhecido como Exortação Apostólica, um documento oficial que expõe seus pontos de vista sobre quais recomendações devem ser adotadas, se houver.

“Como podemos criar espaços onde aqueles que se sentem feridos pela Igreja e indesejados pela comunidade se sintam reconhecidos, acolhidos, livres para fazer perguntas e não julgados?”, diz uma parte do documento.
 
“… que passos concretos são necessários para acolher aqueles que se sentem excluídos da Igreja por causa de seu status ou sexualidade (por exemplo, divorciados, pessoas em casamentos polígamos, pessoas LGBTQ+, etc.)?”
 

Maior papel para as mulheres

 

Uma seção do documento foi dedicada às mulheres, um tópico que deve receber grande atenção no encontro de um mês em outubro, após a decisão de Francisco em abril de permitir que as delegadas votem na assembleia pela primeira vez.

“Que passos concretos a Igreja pode dar para renovar e reformar seus procedimentos, arranjos institucionais e estruturas para permitir um maior reconhecimento e participação das mulheres, inclusive na governança, nos processos de tomada de decisão…?” disse.
 

No ano passado, Francisco introduziu uma reforma histórica que permitirá que qualquer católico leigo batizado, incluindo mulheres, chefie a maioria dos departamentos do Vaticano sob uma nova constituição para a administração central da Santa Sé.

Ele também nomeou três mulheres para um comitê anteriormente exclusivamente masculino que o aconselha na seleção dos bispos do mundo.

O documento disse que a maioria das respostas locais pediu que a questão de as mulheres se tornarem diaconisas fosse considerada.

Os diáconos, como os sacerdotes, são ministros ordenados e devem ser homens na Igreja de hoje. Eles não podem celebrar missa, mas podem pregar, batizar e realizar cerimônias de casamento e funerais e administrar uma paróquia com a permissão de um bispo.


Descubra mais sobre TV Criar Entretenimento

Assine para receber os posts mais recentes por e-mail.

Continue Lendo

Descubra mais sobre TV Criar Entretenimento

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading

Iniciar Conversa
Oi, Sejam bem vindo(a) a nossa TV!
Olááá! Obrigado por assistir a TV CRIAR !!!